Set Designer de Game of Thrones falou sobre as suas inspirações para a série

507855334

A designer de produção e diretora de arte Deborah Riley tem neste momento o que se pode considerar um dos trabalhos mais gratificantes e desafiantes que é possível ter neste momento ao fazer parte do universo de Game of Thrones.

Deborah começou a trabalhar na série durante a quarta temporada, ao supervisionar as gravações em várias das locações que foram usadas para a série ao redor mundo. No entanto a designer foi bem treinada também para saber criar espectáculo em larga escala, tendo trabalhado com Baz Luhrmann durante a produção do filme Moulin Rouge, e dirigiu as cerimónias de abertura dos Jogos Olímpicos de Verão de 2000 em Sydney.

Para a ajudar a tornar a série mais credível, ela recorreu em algumas circunstâncias à arquitectura do mundo real para assim definir locais diferentes para que as diferenças que envolvem os diferentes núcleos da série sejam ainda mais perceptíveis.

Sobre o que vamos ver no decorrer desta sexta temporada, Deborah refere que iremos rever muitos dos locais já conhecidos de outras temporadas, mas ela está particularmente animada para nos apresentar Vaes Dothrak, a cidade Dothraki, que terá referências aos edifícios do arquiteto Arthur Charles Erickson.

“Eles às vezes fazem brincadeiras comigo por trazer referências modernas para um mundo de fantasia, mas eu gosto bastante disso.”

k
Meereen Palace: Frank Lloyd Wright’s Mayan Revival Period

 

“Penso que o revival do período maia de Frank Lloyd Wright foi uma enorme influência sobre o mundo de Meereen e Daenerys. O mais importante sobre o trabalho dele e sobre essa época em particular, é que estes edifícios têm uma certa domesticidade, mas também conseguem passar sentimento monolítico e antigo. Dá a sensação de que eles podem estar dentro de uma pirâmide. Vocês conseguem perceber que as pessoas realmente podem viver ali.”

 

o
Bank of Braavos: Albert Speer’s Architecture for the Third Reich

“David e Dan (David Benioff e DB Weiss) queria algo que transmitisse a riqueza e poder de um banco. A questão era como trazer a intimidação da arquitetura de Albert Speer para o mundo desses banqueiros. Eu acho que funcionou perfeitamente. o projeto também estabeleceu uma estética muito diferente de Porto Real, com uma arquitetura muito mediterrânica, que já tinha sido estabelecida na série. […] Uma das coisas mais importantes sobre as cenas no Banco de Ferro é que vocês entendam de imediato quem é que ali está no controlo.”

House of Black and White: Varanasi, India
House of Black and White: Varanasi, India

 

“Para o exterior do edifício, David e Dan descreveram-no como um edifício que teria apenas uma porta e nenhuma janela, seria a casa do Deus de Muitas Faces e dos homens sem rosto. Quando lá chegou, a Arya não fazia nenhuma ideia do que estaria lá dentro, então o edifício tinha que ser também ele sem rosto. Eu estava a olhar para Varanasi, na margem do Ganges, e na forma como esses edifícios sobem para fora das águas.”

Hall of Faces: Ellora Caves in Western India | Temple of 1,000 Buddhas
Hall of Faces: Ellora Caves in Western India | Temple of 1,000 Buddhas

“Para o Hall of Faces, eu inspirei-me nas Grutas de Ellora na Índia Ocidental. Há também um templo em Hong Kong chamado de Templo de 1.000 Budas, que tem, literalmente, milhares de Budas. Então, se colocarmos essas duas coisas em cima uma da outra, temos o Hall of Faces. Eu queria que os rostos fossem parte do edifício, mas não como uma biblioteca.”

Palace of Dorne: Real Alcázar in Seville
Palace of Dorne: Real Alcázar in Seville

 

“A escolha do Real Alcázar foi fruto de eu ter estado lá como turista. Foi há muitos, muitos anos atrás. Quem iria imaginar que eu regressaria lá tantos anos mais tarde? O fato de que eles permitem-nos gravar lá foi incrível. Eles fecharam partes do palácio quando foi necessário. Uma das coisas maravilhosas que vou levar comigo graças à série foi a oportunidade que tive de poder andar através daqueles jardins no caminho para o trabalho durante todas as manhãs.

Tudo tem que ser muito bem pensado antes de filmar lá. Temos que ter tudo aprovado, e não se pode deixar marcas ou prejudicar o edifício original. É tal como quando nós filmamos no Palácio de Diocleciano. É uma ruína romana antiga que temos de respeitar, mas, ao mesmo tempo, para nós, é a creche dos dragões. Mas essas configurações fornecer um tipo de realidade que não poderíamos obter de outra maneira. É um enorme privilégio filmar nesses locais património da UNESCO. É incrível.”


Fonte: CURBED


About Jon

Nascido entre o Gelo e o Fogo, descendente de duas das grandes casas de Westeros, Targaryen e Stark. Um apaixonado por este mundo que nos seus tempos livres dedica-se a fazer aquilo de que mais gosta, descobrir e dar a conhecer mais sobre este mundo.