A Rebelião de Robert Baratheon

Roberts_Rebellion

A Rebelião de Robert Baratheon, também conhecida como A Guerra do Usurpador, foi uma revolta contra a Casa Targaryen que reinava nos Sete Reinos de Westeros. A guerra durou cerca de um ano e ditou o fim da dinastia Targaryen.

O conflito começou depois que Rhaegar Targaryen sequestrou Lyanna Stark [este acontecimento será explorado no artigo da próxima semana], que estava noiva de Robert Baratheon. Apesar de Hoster Tully ter apelado para que Brandon Stark (o até então herdeiro de Lord Rickard Stark de Winterfell) fosse paciente, ele deslocou-se até Porto Real para procurar pela irmã. Aos gritos junto da Fortaleza Vermelha, desafiou o Príncipe Rhaegar Targaryen a sair para morrer. Aerys mandou prender Brandon e toda a sua comitiva (Ethan Glover, Jeffory Mallister, Kyle Royce e o neto e herdeiro do Senhor do Vale, Elbert Arryn) por conspirar sobre a morte do Príncipe. Aerys II ordenou então que os pais dos prisioneiros deveriam apresentar-se junto do Trono de Ferro para responder às acusações feitas contra os seus filhos. Porém todos eles foram mortos, à excepção de Ethan Glover, sem terem sequer uma audiência justa. Lord Rickard Stark exigiu um julgamento por combate, no entanto foi queimado vivo envergando a sua armadura. Brandon, que estava preso pelo pescoço por uma corda, acabou por morrer estrangulado ao tentar salvar o pai.

– Já vos disse que não há homens como eu. Respondei-me ao seguinte, Senhora Stark… o vosso Ned alguma vez vos contou o modo como o seu pai morreu? Ou o irmão?

– Estrangularam Brandon enquanto o pai observava, e depois mataram também o Lorde Richard. – Uma história feia, e velha de dezasseis anos. Porque estaria ele a falar dela agora?

– Sim, mataram, mas como?

– A corda ou o machado, suponho.

Jaime bebeu um gole, limpou a boca.

– Não há dúvida de que Ned desejou poupar-vos. A sua doce e jovem noiva, ainda que não fosse propriamente donzela. Bem, queríeis a verdade. Fizemos um acordo, nada vos posso negar. Perguntai.

– O que está morto, morto está. – Não quero saber isto.

– Brandon era diferente do irmão, não era? Tinha nas veias sangue e não água fria. Era mais parecido comigo.

– Brandon não se parecia em nada convosco.

– Seja como dizeis. Vós e ele íeis casar-vos.

– Ele vinha a caminho de Correrrio quando… – Estranho, como contar aquilo ainda lhe fazia a garganta apertar-se, depois de todos aqueles anos. – … quando ouviu novas de Lyanna e se dirigiu a Porto Real. Foi um acto precipitado. – Lembrava-se de como o pai se enfurecera quando as noticias tinham sido trazidas a Correrrio. O pateta galante era como chamara a Brandon.

Jaime serviu-se da última meia taça de vinho.

– Ele entrou a cavalo na Fortaleza Vermelha com alguns companheiros, desafiando aos gritos o Príncipe Rhaegar a sair e morrer. Mas Rhaegar não estava lá. Aerys mandou os guardas prenderem-nos a todos, acusados de planearem o assassínio do filho. Os outros eram também filhos de senhores, parece-me.

– Ethan Glover era escudeiro de Brandon – disse Catelyn. – Foi o único sobrevivente. Os outros eram Joffey Mallister, Kyle Royce e Elbert Arryn, sobrinho e herdeiro de Jon Arryn. – Era estranho o modo como ainda se lembrava dos nomes, depois de tantos anos. – Aerys acusou-os de traição e convocou os pais à corte para responder à acusação, mantendo os filhos como reféns. Quando chegaram, mandou assassiná-los sem julgamento, tanto os pais, como os filhos.

– Houve julgamentos. De certo modo. O Lorde Rickard exigiu o julgamento por combate, e o rei concedeu-lhe o pedido. O Stark armou-se como se fosse para a batalha, pensando que iria travar um duelo com um membro da Guarda Real. Talvez eu. Em vez disso, levaram-no para a sala do trono e suspenderam-no das vigas enquanto dois dos piromantes de Aerys acendiam uma fogueira por baixo dele. O rei disse-lhe que o campeão da Casa Targaryen era o fogo. Portanto, tudo o que o Lorde Rickard tinha que fazer para provar que era inocente de traição era… bem, não arder.

» Depois do fogo ateado, Brandon foi trazido. Vinha com as mãos acorrentadas atrás das costas e trazia, em torno do pescoço, um cordão de couro molhado ligado a um dispositivo que o rei trouxera de Tyrosh. Mas as pernas tinham sido deixadas livres, e a espada fora depositada mesmo para lá do seu alcance.

» Os piromantes assaram o Lorde Rickard lentamente, abafando e espevitando o fogo com cuidado para obter um calor bom e uniforme. A primeira coisa a incendiar-se foi o seu manto, depois foi a capa, e em breve não usava nada a não ser metal e cinzas. Em seguida iria começar a arder, prometeu Aerys… a menos que o filho conseguisse libertá-lo. Brandon tentou, mas quanto mais se esforçava, mais se apertava o cordão em torno da sua garganta. No fim, estrangulou-se a si próprio.

» Quanto ao Lorde Rickard, o aço da sua placa de peito ficou cor de cereja antes do fim, e o ouro das esporas derreteu e pingou na fogueira. Eu permaneci em pé, na base do Trono de Ferro com a minha armadura e manto brancos, enchendo a cabeça com pensamentos sobre Cersei. Depois daquilo, o próprio Gerold Hightower chamou-me de parte e disse-me: “Fizestes os votos de defender o rei, não de o julgar.” O Touro Branco era assim, leal até ao fim e um homem melhor do que eu, todos concordam.

Catelyn | O Despertar da Magia

Vale de Arryn.

De imediato o Rei Aerys II exigiu que Jon Arryn executasse Robert Baratheon e Eddard Stark, que eram seus protegidos, mas, ao invés disso, o Senhor do Ninho de Águia reuniu os seus vassalos e iniciou a rebelião. No entanto, nem todos os Senhores do Vale concordaram com a decisão do Lorde Jon e depressa rebentaram combates quando os lealistas da Coroa tentaram derrubar o Lorde Arryn. O Lorde Randyll Grafton de Vila Gaivota foi um dos senhores que permaneceu fiel aos Targaryen. Grafton reuniu os leais à Coroa para impedir Robert e Jon de entrar em Vila Gaivota, mas Eddard tomou outro caminho para se deslocar para o Norte onde tencionava reunir os vassalos da Casa Stark, deslocando-se pelos Dedos. Assim que a cidade caiu, Robert, que foi o primeiro a transpor as muralhas, matou Marq Grafton com as suas próprias mãos, podendo então regressar a Ponta Tempestade onde viria a reunir os seus vassalos. A Casa Tully de Correrrio entrou na guerra ao lado dos rebeldes, sendo que já estava prometido um casamento entre a sua Casa com a Casa Stark (Catelyn Tully estava prometida a Brandon Stark) e um outro com a Casa Arryn (Lysa Tully já estava prometida a Jon Arryn), sendo que Catelyn acabou por casar com Eddard, uma vez que Brandon morreu.

Os rebeldes uniram-se todos a Robert pois era ele quem possuía a melhor pretensão para ocupar o Trono de Ferro, uma vez que a sua avó era filha do Rei Aegon V, possuindo assim a melhor pretensão ao trono posteriormente aos descendentes de Aerys.

Aerys II também convocou todos os seus vassalos. Todos os vassalos da Terra da Coroa, da Campina e de Dorne responderam à chamada do Rei e mantiveram-se fiéis ao Trono de Ferro. No entanto, a Casa Lannister (cujo chefe, Tywin Lannister, fora recentemente demitido do cargo de Mão do Rei) não respondeu à convocação de Aerys II. Os Greyjoy das Ilhas de Ferro optaram por serem neutros neste conflito, não tendo então participado desta rebelião.

| As Batalhas

    | Batalha de Solarestival

Batalha de Solarestival.
Batalha de Solarestival.

A Batalha de Solarestival foi, na verdade,  um conjunto de três batalhas que ocorreram num só dia no antigo castelo de Solarestival, que era usado como palácio de verão e também residência real pela Casa Targaryen. Depois de Robert reunir os seus vassalos em Ponta Tempestade, Lorde Fell, Lorde Cafferen e Lorde Grandison, que permaneceram fiéis à Coroa, estavam determinados a reunir os as suas forças em Solarestival para posteriormente marcharem em conjunto sob Ponta Tempestade. Robert soube do plano e imediatamente deslocou-se com o seu exército para Solarestival. Sabe-se que Robert conseguiu chegar primeiro ao castelo em ruínas e ganhou as três batalhas que ali aconteceram, tendo sido ele a matar Lord Fell num combate individual. Esta vitória contribuiu para que Robert consolidasse ainda mais o seu poder nas Terras da Tempestade, ganhando assim o apoio dos Senhores que restavam, permitindo-lhe marchar em direção à Campina sem deixar inimigos para trás. Lorde Fell foi morto e o seu filho, Machado de Prata, foi capturado e levado como prisioneiro para Ponta Tempestade, assim como os Lordes Grandison e Cafferen. Depois de algum tempo em cativeiro, juntaram-se à causa rebelde e morreram a lutar por Robert Baratheon.

– Sim, Vossa Graça. – Ele não fala de mim. Davos sentiu um momento de compaixão pelo seu companheiro de cela, lá em baixo, no escuro. Sabia que devia guardar silêncio, mas estava cansado e doente até ao âmago, e ouviu-se dizer: – Senhor, o Lorde Florent não pretendeu trair.

 – Os contrabandistas têm outro nome para o acto? Fiz dele Mão, e ele teria vendido os meus direitos por uma tigela de papa de ervilhas. Até lhes teria dado Shireen. A minha única filha, e ele tê-la-ia casado com um bastardo nascido do incesto. – A voz do rei estava carregada de fúria. – O meu irmão tinha um dom para inspirar lealdade. Até aos adversários. Em Solarestival ganhou três batalhas num só dia, e trouxe os Lordes Grandison e Cafferen para Ponta Tempestade como prisioneiros. Pendurou os seus estandarte no salão como troféus. Os enhos brancos de Cafferen estavam manchados de sangue e o leão adormecido de Grandison encontrava-se quase rasgado em dois. E no entanto, eles passavam noites sentados por baixo desses estandartes, bebendo e festejando com Robert. Até os levou à caça. “Esses homens queriam entregar-te a Aerys para seres queimado”, disse-lhe depois de os ver a arremessar machados no pátio. “Não devias pôr-lhes machados nas mãos.” Robert limitou-se a rir. Eu teria atirado o Grandison e o Cafferen para uma masmorra, mas ele transformou-os em amigos. O Lorde Cafferen morreu no Castelo de Vaufreixo, abatido por Randyll Tarly enquanto lutava por Robert. O Lorde Grandison foi ferido no Tridente e morreu do ferimento um ano mais tarde. O meu irmão fê-los amá-lo, mas ao que parece eu só inspiro traição. Até no meu próprio sangue e família. Irmão, avô, primos, tio da esposa…

Davos | A Tormenta de Espadas

   | Batalha de Vaufreixo

Mapa da Campina com destaque em Vaufreixo e Jardim de Cima.
Mapa da Campina com destaque em Vaufreixo e Jardim de Cima.

A Batalha de Vaufeixo travou-se em Vaufreixo, na sede da Casa Ashord. Assim que Robert uniu as Terras da Tempestade, partiu em direção a Vaufreixo, terra que se localiza na Campina e está ajuramentada a Jardim de Cima. Crê-se que Robert tenha atacado Vaufreixo para assegurar o flanco direito das Terras da Tempestade contra a ameaça dos Tyrell de Jardim de Cima que reuniam o maior exército do reino, mas também se crê que Robert acabou lá devido a uma manobra de Randyll Tarly. A vanguarda do exército Tyrell que estava sob o comando do Lorde Randyll Tarly encontrou as forças de Robert, superando-as e obrigando Robert a recuar antes de que o resto do exército se juntasse à batalha. O Lorde Cafferen [que estava do lado dos rebeldes após ter sido derrotado em Solarestival] foi morto por Randyll Tarly, que enviou a sua cabeça ao Rei Aerys II. Do lado da Campina, uma baixa notável foi a do primo de Lorde Mace, Sor Quentin Tyrell.

   | Batalha dos Sinos

Batalha dos Sinos.

A Batalha dos Sinos ocorreu na cidade de Septo de Pedra. Os rebeldes estavam a ser comandados por Robert Baratheon enquanto Jon Connington, Mão do Rei, comandava as forças leais à coroa. O nome, Batalha dos Sinos, deriva do facto de no início da batalha se terem  tocado os sinos do septo para alertar os moradores da cidade a não saírem das suas casas. Depois da derrota em Vaufreixo, Robert Baratheon virou-se para norte, provavelmente em busca das forças dos Stark, Tully e Arryn, os seus leais. Não se sabe o que aconteceu durante a viagem de Vaufreixo até ao Septo de Pedra, mas Robert foi ferido durante o percurso, o que o levou a esconder-se no septo antes de começar a batalha. Quando Jon Connington chegou à vila, ordenou aos seus soldados que procurassem por Robert. No entanto, ainda sem que Robert tivesse aparecido, os exércitos do Norte, do Vale e das Terras Fluviais chegaram à cidade. Os rebeldes atacaram as muralhas e o exército real respondeu de forma feroz. Hoster Tully foi ferido por Jon Connington, que também matou Denys, o primo e também herdeiro de Jon Arryn. Os exércitos combatiam em simultâneo pelas ruas, vielas e até nos telhados das casas. Foi então que Robert decidiu sair do local onde se escondia, e junto dos seus seguidores, liderou o contra-ataque. Apesar de esse facto ter aparentado mudar o rumo da batalha, Robert afirmou que para ele fora Eddard Stark quem vencera essa batalha. Quando Jon Connington se apercebeu de que a batalha estava perdida, retirou-se com o seu exército. A retirada de Jon Connington pode ser considerada um feito de grande importância, tendo em conta a ferocidade da batalha e a natureza da localização, o que dificultou manter o exército unido. Contudo, o Rei Aerys II não ficou impressionado e ordenou o exílio de Jon Connington. Esta derrota fez com que o Rei percebesse que Robert Baratheon não era um simples rebelde que poderia ser facilmente derrotado, mas sim a maior ameaça que a Casa Targaryen enfrentava desde Daemon Blackfyre. Após a batalha, Jonothor Darry e Barristan Selmy foram enviados para Septo de Pedra para que reunissem o que restava do exército real.

   | Batalha do Tridente

A Batalha do Tridente foi uma batalha decisiva para a guerra. O exército rebelde combateu o exército real junto ao Ramo Verde do Tridente, local que posteriormente ficou conhecido como o Vau Rubi. As forças rebeldes reuniram-se na margem leste do Ramo Verde onde se agruparam com as forças dos Stark, dos Tully e dos Arryn. O exército, naquele momento, possuía força suficiente para ameaçar a capital, Porto Real. Ao comando de Robert Baratheon, as forças avançaram para sul através da Estrada do Rei em direção à principal travessia do Tridente. O exército rebelde contava com cerca de trinta e cinco mil homens.

Robert Baratheon e Rhaegar Targaryen alutar junto ao Vale Verde, posteriormente conhecido como Vau Rubi.

Nesse momento o príncipe Rhaegar reapareceu para comandar o exército real. O Rei Aerys II, completamente fora de si, ‘lembrou’ a Casa Martell de que a princesa Elia estava sob a sua posse e enviou o tio dela, o príncipe Lewyn Martell da Guarda Real, para comandar dez mil homens dorneses, unindo-os aos do exército de Rhaegar. Sor Barristan Selmy e Sor Jonothor Darry, que tinham sido enviados para reunir as forças dispersadas de Lorde Jon Connington, também juntaram o restante dessas forças ao exército real. O exército real, comandado por Rhaegar e com quase 40 mil homens, marchou pela Estrada do Rei até a travessia sobre o Tridente, pois suspeitava que os rebeldes pretendiam usar essa rota.

Os dorneses, sob comando do Príncipe Lewyn Martell, ameaçavam o flanco esquerdo dos rebeldes. Sor Lyn Corbray, ao levar consigo a espada do seu pai que se encontrava ferido, liderou um ataque e destruiu as tropas dornesas. Durante o ataque, Sor Lyn encontrou-se com o Príncipe Lewyn, que já se encontrava ferido, e matou-o. Sor Barristan Selmy matou diversos homens durante a batalha.

A batalha foi decidida quando Robert Baratheon matou Rhaegar Targaryen com um golpe do seu martelo de combate. O golpe foi tão forte que os rubis que adornavam a armadura do Príncipe foram espalhados pelo leito do rio, dando ao Ramo Verde o nome Vau Rubi. Sem líder, o exército real ficou disperso e fugiu.

A vitória dos rebeldes no Tridente foi decisiva para a guerra. O caminho até Porto Real estava livre e a única força leal à coroa suficientemente significativa para lhes fazer frente estava a cercar Ponta Tempestade, liderada pelo Lorde Mace Tyrell. Os rebeldes também descobriram que as forças Lannister estavam-se a mover rapidamente em direção a Porto Real. Uma vez que Robert tinha sido ferido durante a batalha, foi Eddard quem liderou o exército pela estada real afim de alcançar Porto Real antes dos Lannister.

   |O Saque de Porto Real

O saque a Porto Real aconteceu em 283DC, um ano depois de se ter iniciado a rebelião. Alegando lealdade à Coroa, Lorde Tywin Lannister, que até à Batalha do Tridente permanecia neutro nesta guerra, marchou em direção aos portões de Porto Real com uma força de doze mil homens, pedindo autorização para entrar na cidade. Apesar do alerta dado por Varys, o Rei Aerys II cedeu aos pedidos do Meistre Pycelle que o tentava convencer a deixar as forças Lannister entrar na cidade. As forças Lannister começaram a saquear a cidade em nome de Robert assim que lá entraram. Aerys ordenou ao piromante Rossart (o seu atual Mão) que acendesse o fogovivo que estava escondido por toda a cidade.

– Que ele seja rei de ossos esturricados e carne assada – disse para um homem que estava em baixo. – Que seja rei de cinzas.

Daenerys| A Fúria dos Reis

[o excerto cita as palavras ditas pelo Rei Aerys II quando ordenou que acendessem o fogovivo]

Aerys ordenou a Jaime Lannister, membro da sua Guarda Real, para que matasse o seu próprio pai, Tywin. Ao invés disso, Jaime assassinou Lorde Rossart e logo depois o próprio Rei Aerys II, no Trono de Ferro. Tywin ordenou aos seus cavaleiros, Sor Gregor Clegane e Sor Amory Lorch, que subissem à Fortaleza de Maegor e tratassem do resto da família real, assegurando assim o trono para Robert, com isso provando que a Casa Lannister abandonara os Targaryen para sempre. Gregor matou o suposto bebé que se dizia ser o  filho de Rhaegar (Aegon Targaryen havia sido trocado por Varys por um filho de um camponês, alegadamente) em frente à sua mãe e depois violou e assassinou a Princesa Elia. Amory arrastou a Princesa Rhaenys de debaixo da cama do seu pai e esfaqueou-a cinquenta vezes. Quando Eddard Stark chegou à sala do trono, encontrou Jaime sentado no Trono de Ferro e o corpo de Aerys caído em baixo dele. Tywin Lannister apresentou os cadáveres da esposa e os filhos de Rhaegar, em sinal de sua fidelidade, depositados sob o Trono de Ferro, envolvidos em mantos carmesim.

Eddard Stark e Robert Baratheon discutiram sobre a morte da família de Rhaegar, Eddard achava que aquilo não passou de um homicídio sem justificação, mas Robert estava satisfeito com as mortes das crianças. A discussão entre Eddard e Robert fez com que Eddard fosse sozinho ao Sul desfazer o cerco de Ponta Tempestade, partindo depois finalmente para a Torre da Alegria.

Aos sobreviventes do saque, como Sor Jaremy Rykker e Sor Alliser Thorne, foi dada por Tywin a escolha de se juntar à Patrulha da Noite ou morrerem.

| O Cerco a Ponta Tempestade

Cerco a Ponta Tempestade.
Cerco a Ponta Tempestade.

Quando o Lorde Robert Baratheon levou consigo a maioria das forças das Terras da Tempestade, deixou o seu irmão Stannis com poucos homens em Ponta Tempestade. Após a derrota de Robert em Vaufreixo, que o afastou de Ponta Tempestade, a tropa Tyrell avançou diretamente até lá e cercou o castelo. O Lorde Mace Tyrell cercou o castelo por terra com as tropas da Campina, enquanto o Lorde Paxter Redwyne, juntamente com a frota da Árvore, fechou toda a Baía dos Naufrágios, isolado o castelo por todos os meios.

O cerco durou cerca de um ano. Durante esse tempo os habitantes do castelo, por falta de acesso a mantimentos, tiveram de comer os seus cavalos, cães, gatos e quase que foram forçados a comer os seus próprios mortos. No entanto, Davos Seaworth, um notável contrabandista, conseguiu esgueirar-se pelas linhas da frota Redwyne e entrar em Ponta Tempestade com um navio carregado de cebolas e de peixe salgado. A comida permitiu aos habitantes do castelo sobreviverem durante o tempo suficiente até a chegada de Ned Stark, que pôs fim ao cerco. Não chegou a haver nenhuma batalha, pois Mace Tyrell rendeu-se de imediato com a chegada dos rebeldes. A frota Redwyne foi redirecionada para Pedra do Dragão. A grande maioria dos lordes e cavaleiros da Campina foram perdoados por Robert pela sua participação na guerra.
Davos tornou-se cavaleiro pela ajuda prestada em Ponta Tempestade, mas primeiro teve a ponta dos dedos cortados por Stannis, como punição pelos anos em que foi contrabandista.

– Procurei-vos no Tridente – disse-lhes Ned.

– Não estávamos lá – respondeu Sor Gerold.

 – Seria uma aflição para o Usurpador se tivéssemos estado – disse Sor Oswell.

– Quando Porto Real caiu, Sor Jaime matou o vosso rei com uma espada dourada, e eu pergunto-me onde estaríeis vós.

– Longe – disse Sor Gerold -, caso contrário, Aerys ainda possuiria o Trono de Ferro e o nosso irmão estaria a arder nos sete infernos.

– Eu vim a Ponta Tempestade para levantar o cerco – disse-lhes Ned – e os senhores Tyrell e Redwyne baixaram os estandartes, e todos os seus cavaleiros dobraram os joelhos para nos jurar fidelidade. Tinha a certeza de que vos encontráveis entre eles.

– Os nossos joelhos não se dobram facilmente – disse Sor Arthur Dayne.

Eddard | A Muralha de Gelo

| O Assalto a Pedra do Dragão

Assalto a Pedra do Dragão.
Assalto a Pedra do Dragão.

Após o fim do Cerco a Ponta Tempestade, Stannis tomou o comando da frota que partiu para tomar a última fortaleza dos Targaryen, Pedra do Dragão. Alguns meses antes do Saque a Porto Real, a Rainha Rhaella e o Príncipe Viserys Targaryen fugiram para a fortaleza juntamente com Sor Willem Darry. A rainha morreu ao dar a luz à Princesa Daenerys Targaryen durante uma tempestade que despedaçou toda a frota Targaryen.
Antes da chegada de Stannis, Sor Willem Darry e alguns companheiros sequestraram o príncipe, a princesa e a sua ama de leite, levando-os para Bravos, onde eles começaram as suas vidas como exilados.

Nascera em Pedra do Dragão quatro luas depois da fuga, durante a fúria de uma tempestade de Verão que ameaçava destroçar a estabilidade da ilha. Diziam que aquela tempestade fora terrível. A frota Targaryen fora esmagada enquanto estava ancorada e enormes blocos de pedra foram arrancados aos parapeitos e precipitados sobre as águas encapeladas do mar estreito. A sua mãe morrera ao dá-la à luz, e por esse fato o irmão Viserys nunca lhe perdoara.

Daenerys | A Guerra dos Tronos

| Batalha da Torre da Alegria – O Fim da Guarda Real de Aerys

Batalha da Torre da Alegria – O Fim da Guarda Real de Aerys

A Batalha junto à Torre da Alegria marcou o fim da Guarda Real de Aerys Targaryen. Sor Arthur Dayne, Sor Oswell Whent e o Senhor Comandante da Guarda Real, Gerold Hightower, não participaram das batalhas que ocorreram em Porto Real, no Tridente e em Ponta Tempestade. A eles fora incumbida a missão de guardar uma pequena torre, com o nome de Torre da Alegria, nas montanhas vermelhas de Dorne.

Os eventos que decorreram na Torre da Alegria serão contados no nosso próximo artigo de Histórias de Gelo e Fogo que será lançado na próxima semana.

| O Final da Rebelião

Com o sucesso da Rebelião, a Casa Targaryen foi retirada do poder e a maioria dos seus membros foi assassinada, restando apenas dois membros exilados para lá do Mar Estreito, Viserys e Daenerys Targaryen. Robert Baratheon tomou o Trono de Ferro, nomeou Jon Arryn como sua Mão e casou-se com Cersei Lannister. Jon Arryn negociou o armistício com Dorne, tornando Robert Rei legítimo dos Sete Reinos.


Fontes: O Mundo de A Guerra dos Tronos | As Crónicas de Gelo e Fogo [Volumes 1, 2, 4, 5] | A Wiki Of Ice And Fire | A Wiki de Game Of Thrones


Outras histórias de Gelo e Fogo:

+ Aerys II: O Rei Louco

+ Brynden Rivers: O Corvo de Três Olhos

+ O Torneio de Harrenhal

About Jon

Nascido entre o Gelo e o Fogo, descendente de duas das grandes casas de Westeros, Targaryen e Stark. Um apaixonado por este mundo que nos seus tempos livres dedica-se a fazer aquilo de que mais gosta, descobrir e dar a conhecer mais sobre este mundo.